Art & Décor, um especial que revela profissionais que são referência na arquitetura e decoração

Nesse especial, traremos nomes dos profissionais da arquitetura e decoração da nossa cidade e região, que estão inseridos neste universo dinâmico, retocado pelas tendências, promissor e que tem como principal função transformar e projetar ambientes com o objetivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas que frequentam o espaço e manipulando o meio ambiente com responsabilidade.

Aline, como e quando foi que você se interessou pela arquitetura?
Desde pequena sempre fui um pouco mais sensitiva e criativa. Gostava de desenhar roupas, colorir, era apaixonada com Artes no ensino fundamental. Um dos motivos que tenho certeza que me fizeram escolher essa profissão foi porque cresci no mundo da construção, eu achava mágico o que meu pai fazia. Minha família foi minha inspiração, comecei engenharia, mas no sétimo período eu descobri que o curso era muito limitado e eu gostava de criar, de transformar, foi quando surgiu a forte vontade de ser arquiteta.

Sua formação é em uma instituição de ensino público ou privado?
Formei em Belo Horizonte, em uma instituição privada. O programa do governo facilitou muito, uma vez que, seria impossível considerando a condição financeira da época.

Qual a sua especialidade em arquitetura?
Nós elaboramos e concebemos os planos das construções. Cada projeto é meticulosamente planejado e desenvolvido, levando em consideração suas características únicas e examinando todos os detalhes. Costumo dizer que no escritório não fazemos projeto, fazemos O PROJETO!

Tem alguma época histórica da arquitetura na qual você mais se identifica?
A Arquitetura Clássica em envolve! Eu sou fascinada nesse período histórico, testemunhamos os primórdios da construção de templos, arcos triunfais, estradas, infraestrutura básica das cidades, teatros e muito mais. É incrível como as pessoas daquela época conseguiram conceber, criar e construir essas estruturas com tecnologia tão limitada em comparação com a atual.

Para a construção de um projeto arquitetônico o que deve ser levado em consideração em um primeiro momento, a forma ou a função?
A forma e a função estão intrinsecamente ligadas durante o desenvolvimento do projeto, pois a função influencia a forma e vice-versa. Uma forma desprovida de função pode se tornar dispensável, enquanto uma função desprovida de forma pode perder sua utilidade.

Quais são as tendências que estão sendo difundidas rapidamente e quais são as que não emplacam?
As tendências evoluem de acordo com o comportamento social. Por exemplo, na sociedade pós-pandemia, surgiu a necessidade de reconexão com elementos naturais que transmitem fluidez e harmonia. Uma tendência que não se estabelece é aquela que não reflete o momento antropológico.

Hoje usa-se muito o termo neuroarquitetura. Esclarece melhor do que se trata.
A Neuroarquitetura é uma disciplina que investiga os efeitos do ambiente sobre as pessoas. Isso ocorre porque a composição dos espaços pode ter um impacto direto em nossa rotina, podendo nos motivar ou desencorajar a permanência em um local. Assim, ao aplicar a Neuroarquitetura e combinar elementos como materiais, texturas, iluminação, plantas e outros fatores, é possível criar ambientes inteligentes que influenciam de maneira positiva o comportamento das pessoas. Isso pode proporcionar uma maior capacidade de concentração, estimulação, relaxamento e assim por diante.

Podemos dizer que a pandemia foi fator influenciador para a neuroarquitetura?
Indiretamente, sim! As pessoas passaram a dedicar mais tempo em suas casas e perceberam o impacto que o ambiente tem em suas respostas emocionais. Como resultado, obtivemos a busca de ferramentas que ajudariam a melhorar a qualidade do bem-estar.

Qual é o estilo arquitetônico que carrega as características da profissional Aline Reis?
A arquitetura contemporânea ganha meu coração, com o progresso e a evolução das concepções e da própria tecnologia, tornou-se viável conceber projetos inovadores, sendo simples, práticos e significativamente mais ecológicos. Teoricamente, cada projeto é orientado pela praticidade e pelo bem-estar do seu usuário, diferenciando casa de LAR.

O que esperar deste mercado daqui 10 anos?
O setor de Arquitetura e Urbanismo continua a ser uma profissão com demanda constante. Sempre há necessidade de projetos inovadores, construção de edificações, restaurações, reformas e revitalização de espaços, tanto em ambientes urbanos como em propriedades privadas. A arquitetura desempenha um papel fundamental na moldagem e na melhoria dos espaços em que vivemos e ganhamos, tornando-a uma profissão essencial que permanecerá relevante no futuro.

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn
Email

Fique sempre atualizado.

Cadastre seu email e receba as atualizações da TeóVip em primeira mão.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress